Flor de sal caseira

Existem vários tipos de sal no mercado nacional, como o sal refinado, sal grosso de espessuras variadas, sal marinho, sal de rocha, com ou sem iodo, e diferentes combinações. No mercado internacional a quantidade é, honestamente, absurda. Existe sal para picles, sal de mesa, sal para pipoca, sal kasher, sal marinho cristalizado, sal marinho em flocos, sal com baixo nível de sódio (sério!), sal orgânico (impossível, já que sal não contém carbono, elemento necessário para que algo seja quimicamente considerado “orgânico”), sal defumado, sal de limão (e outros sabores, como alecrim e sementes de coentro), sal para moedor, etc, e ainda existem sais de marca geográfica, com o sal havaiano, sal francês, sal celta, sal italiano, Kala Namak (indiano) e em vários graus de refinamento e, sendo bastante claro, higiene (existem sais que são vendidos por preços exorbitantes que contém areia, traços de enxofre, ferrugem e até restos orgânicos do fundo de lagos de onde foram extraídos).

Um desses tipos, e que passou a ser produzido no Brasil (no Rio Grande do Norte, mais exatamente) apenas há poucos anos, é o chamado “flor de sal” que, apesar de alegações-extraordinárias-de-Wikipédia quanto à sua composição, em nada (ou quase) difere do resto do sal que será recolhido posteriormente.

O processo é simples: água do mar é represada em alguma lagoa artificial; uma parte dessa água é colocada em áreas que parecem quadras poliesportivas e deixada evaporar pela ação natural do sol e, principalmente, do vento. Todo sal marinho é produzido assim.
Enquanto o nível da água está baixando, ela vai ficando mais salgada (pois existe menos água para dissolver a mesma quantidade de sal, que não evapora) até que atinge um limite chamado de “saturação”. A partir desse limite, o sal vai começar a se separar da água. A maior parte vai decantar (descer para o fundo) enquanto uma pequena porção cristaliza na superfície do espelho de água. Essa porção que boia é a tão famosa flor de sal.

Ela é cara por dois motivos:
1) como muito pouco do material se cristaliza na superfície, o período de colheita é bem mais fugaz e deve ser feito manualmente, por trabalhadores qualificados e usando ferramentas apropriadas. Mas o motivo principal é;
2) as pessoas aceitam pagar o preço que lhes é cobrado (porque o trabalho de recolher a flor é bem menos intenso e a ferramenta apropriada é uma rede de limpar piscina). É assim que o mundo funciona. As coisas têm o preço que têm porque os consumidores aceitam pagar. Se o gasto com a produção for maior do que esse valor aceitável, o produto sequer é produzido, e o mundo continua girando.

Então, por que usar? Se é caro, composicionalmente idêntico (ou quase) ao sal que será posteriormente refinado, e de difícil produção, por que diabos eu usaria esse troço?
Simples. O grão é mais grossinho, o que o faz mais fácil de usar em pitadas e de medir em colheres, e também dá um toque crocante nos pratos. E eu faço o meu em casa.

Agora, que a parte chata ficou para trás, vamos às fotos e, especialmente, à receita!

A primeira coisa que precisamos é de uma vasilha refratária, preferencialmente feita de não-metal (sal e metal não são os melhores amigos do mundo, principalmente na presença de umidade e calor – e eu acabei de criticar um sal contendo ferrugem):

Em seguida, sal suficiente para cobrir o fundo e não muito mais do que isso (quanto menos sal você usar, mais fino será o resultado final):

Depois é só adicionar água até mais ou menos metade do recipiente (lógico, isso varia de acordo com a largura e altura do refratário), mexer para dissolver por completo e colocar no forno em sua mais baixa temperatura:

E por que na temperatura mais baixa? Por que não na panela, direto na boca do fogo? Não seria bem mais rápido assim?
Seria. Mas também seria bem mais atribulado. O que você quer que aconteça aqui é uma evaporação lenta, sem bolhas grandes. Quando a salmoura ferve tumultuadamente (com muitas bolhas, com o líquido se agitando demais), muito sal é ejetado do recipiente, enchendo seu fogão, ou forno, de pontos de sal quente e úmido (que promove corrosão) e dificultando a próxima etapa; a depositação vertical.

As bolhas que aparecem são apenas o gás dissolvido na água escapando. A mistura não está fervendo, só evaporando, e isso possibilita o depósito do sal nas paredes do recipiente, visível acima da linha da água.

Depois de mais ou menos uma hora (novamente, dependendo das condições do forno, da quantidade de água, etc. Fique de olho que nada sairá errado), a água já deverá ter evaporado por completo e a vasilha ficará coberta por uma fina camada de sal. Deixe tudo esfriar dentro do forno mesmo (para manter o produto seco), depois raspe tudo com uma faca ou espátula:


Essa é a consistência desejada. Cristais fino e firmes, completamente secos.

E pronto. Depois de raspar tudo, quebre em pedaços manejáveis e guarde num recipiente com tampa.

Isso fica excelente como finalização de receitas, para adicionar crocância a pratos preparados com pouco sal, saladas e também em tudo que for ao forno para gratinar. E também em marinados preparados para a churrasqueira, como esse lombo de porco que minha esposa receitou (sacaram? Receitou? Ela é médica e escreveu uma receita… bom, destá).
E você não precisar hipotecar sua casa para comprar um pacotinho.

Anúncios

16 Respostas para “Flor de sal caseira

  1. Hipotecar a casa para comprar um pacotinho? Não. Hipotecar a casa para comprar gás? Talvez.

  2. É isso que da falar do que não conhece, isso que vc fez ai não tem nada a ver com Flor de Sal.

    • Realmente. Flor de Sal é um produto criado para enganar otários, visto que é somente sal. A diferença é que é mais caro.

      • wanderson

        Este procedimento pode ter efeitos para culinária iguais ao sal comum mas propriedades nutritivas não tem nada a ver com isso…Veja O Mito do Sal no You Tube É uma informação que vc vai apreciar.

      • Todo sal proveniente do mesmo meio vai ter as mesmas propriedades nutritivas. O sal evaporado de um corpo de água terá exatamente as mesmas propriedades da flor de sal do mesmo corpo. Lair Ribeiro é um charlatão que ganha a vida enganando pessoas ingênuas para vender seus livros e palestras.

  3. Adorei a receita! Vou fazer já!

    • A Flor de Sal: Considerada um dos tesouros da gastronomia pelos Chefs, a Flor de Sal, conhecida como “Caviar Marinho”, deve ser utilizada para realçar e revelar os sabores tanto dos pratos salgados quanto dos doces. Além de deixar mais saboroso irá dar um toque de sofisticação ao prato.

      A Flor de Sal PROPAGANDA DE PRODUTO CENSURADA não é sujeita a nenhum processo de industrialização, a finíssima película de cristais de Sal Marinho é colhida artesanalmente, contêm os principais minerais, e mais de 80 oligoelementos presentes na água do mar, essenciais para o equilíbrio do nosso organismo, sendo totalmente natural e sem a adição de produtos químicos preservando, assim, a nossa saúde.

      Os Principais elementos são: Ferro, Zinco, Potássio, Magnésio, Flúor, Cálcio, Cromo, Cobre, Iodo, Sódio, Cloro, entre outros.

      • O mesmo é verdade de sal comum. Sais provenientes da mesma localidade têm exatamente os mesmos elementos e propriedades.
        E dizer que sal preserva nossa saúde é, além de mentira, jogo de marketing. Cuidado ao acreditar em conversa de vendedor.

  4. Explicou legal sobre os diferentes sais, como trabalho de escola, mas nao pesquisou bem sobre a flor de sal, pois o processo que criou fez o sal voltar a ser sal comum, mas tudo grudado. A flor de sal fica em lascas delicadas, que sao facilmente esmagadas nos dedos. Passe a flor de sal na carne do churrasco quando retirar da brasa, e vai sentir diferenca. Valeu pela dedicacao culinaria, vai chegar la.

    • Oswaldo, a diferença é muito pouca, especialmente quando comparado com a flor-de-sal que existe no mercado, embalado inadequadamente e transportado com ainda menos cuidado.
      Se você quiser flocos ou lascas, basta colher os que vão se formando na superfície durante o processo. Dá um pouco mais de trabalho e leva consideravelmente mais tempo, já que você vai precisar ficar abrindo a porta do forno a cada quinze minutos, mas é completamente possível.

      Obrigado pelo comentário.

  5. Aah, mas agora eu vi uma besteira mesmo! Além de o que vc fez não ter NADA A VER com flor de sal, vc gastou o $$ que queria economizar com o sal em gás por UMA HORA de sal e água no forno, para desnaturar o sal. Vc tem que pesquisar mais, a flor de sal não é só isso. Ela, por exemplo, não contém qualquer agente químico ou passa por processo industrial, e esse sal que vc usa achando que é flor de sal passou por todo o processo industrial. A flor do sal passa por uma limpeza e separação artesanal e cuidadosa, e sua consistência passa longe dassa daí. É impossível que isso chegue perto de ser uma flor de sal, e apenas quem sabe e tem um bom paladar e principalmente conhecimento, saberia diferenciar. Perdeu todo o prestígio comigo esse blog, vc não conhece culinária, pois acabou de falar uma grande bobagem a respeito dela. Larga de ser mão de vaca, compra uma flor de sal e veja a diferença.

    • Existem vários tipos de burrice, mas poucos chegam ao nível daquele de quem diz que sal “não contém qualquer agente químico” e que um produto industrializado não “passa por processo industrial”. Você acha que sal é mágica e que os camponeses de um conto de fadas recolhem grão por grão e vão deixar na sua casa nas costas de um dragão?
      Acho que é isso mesmo que sua mente fraquinha acha, já que você também diz que a “flor do sal passa por uma limpeza e separação artesanal”. Acho que você realmente acredita que flor-de-sal não é um produto superfaturado direcionado aos novos-ricos que não têm capacidade mental para reconhecer quando estão sendo flagrantemente enganados, mas um produto etéro de um lugar idílico, manipulado molécula por molécula (se é que você reconhece essa palavra), que é limpo e separado sem uso de “agentes químicos” e sem passar por um “processo industrial”. Como é então que eles limpam sal? Com uma vassourinha mágica do Mickey Mouse que sabe o que é sal e o que não é?

      Se você quer continuar se enganando e doando seu dinheiro a empresas que se aproveitam da burrice de seus consumidores, fique à vontade. Só não venha aqui tentar espalhar boatos e inventar mentiras sob a sombra de “tenho paladar e conhecimento”, porque você demonstrou claramente que conhecimento você não tem algum. Dinheiro para queimar burramente, sem dúvida, pois abriu e fechou seu comentário insinuando como pode pagar por um sal cinquenta vezes mais caro que outro exatamente idêntico.

      Mas é mais provável que você seja apenas uma criança que não tem o que fazer e sai comentando em blogs usando um email falso. Não fale em prestígio quando você vem aqui se escondendo sob um pseudônimo e preenchendo campos com informações falsas.

  6. jose pereira neto

    santa ingnorancia desse povo batma .

  7. Estou de férias, sem fazer nada hoje e me deparo numa guerra de explicações para a “flor de sal”…Como pode perderem tanto tempo guerreando sobre um assunto instigante: “ricos e pobres” se defendendo! Gente!!!! qual a diferença que uns cristais de sal faz em suas vidas????
    Me poupe!!!! Gente!!! que absurdo!!!!!

  8. Ricardo flauto silva

    Consegui algo diferente, consegui uma flor de sal como aquelas vendidas( a preços exorbitantes) nos mercados.
    A formação de cristais no formato de pirâmide.

  9. iara camargos

    darlene, faça como eles pesquise, depois vc da seu palpite.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s